21 junho, 2010

4 anos.

     Com todo o tumulto que estava acontecendo em sua casa, ela preferia fugir. Não era fácil enfrentar de cabeça erguida todos aqueles problemas. Ela se acovardou e fugia toda tarde. Passava horas lendo, estudando, ouvindo música, saindo escondida. Mas em casa ela não ficava. Um dia normal, ela acorda e se prepara para fugir. A notícia chega. O tumulto havia acabado. O 'problema' tinha se dissolvido. E agora? Fugir para quê? A confusão tinha ido embora mas junto com ela foi seu grande amor. Hoje fazem 4 anos que a vida dela ficou de cabeça para baixo e não teve um dia em que ela não pensasse no seu amor. Ela preferiu fugir da dor e com isso acabou perdendo os últimos momentos com o amor da sua vida. E agora, ela se pergunta quem iria lhe dar um sorriso estonteante quando ela soltasse uma graça, com quem ela iria brigar até chorar, com quem ela iria se consolar dos problemas, em quem ela iria abraçar até perder o ar. A pessoa que ela mais amava na vida havia ido embora e ela não se despediu. Não porque não teve chance, teve sim, muitas. Acontece que ela preferiu fingir que nada estava acontecendo, preferiu fugir para outro mundo. Preferiu estar no seu mundo das maravilhas. Ela foi egoísta. Agora irá viver coma dor, a culpa e a saudade pelo resto da sua vida. Até encontrar com seu amor novamente. E agora, é por ele que ela vive.



3 comentários:

Raquel disse...

Ow Carolis, te amo viu?! =*

Dryka Sales disse...

tô seguindo aqui também flor, amei seu blog!

Gêsa disse...

Carol é muito lindo teu texto.
"E agora, é por ele que ela vive". Essa é coisa mais importante.