19 junho, 2010

São só palavras.

      Naquele momento o mundo parou, você me olhava como se não houvessem mais palavras sãs a serem ditas. E haviam? Eu aceditava que sim. Procurei por elas em minha cabeça, tentei formular alguma frase que tivesse sentido. E o que saiu da minha boca, nada. Parecia que nenhuma palavra era tão certa para a outra, parecia que elas não não podiam ficar juntas em uma mesma frase. Na minha mente, eu lutava contra isso. Eu não queria acreditar que as palavras, pela primeira vez em minha vida, não faziam sentido quando juntas em uma frase. Pela primeira vez, eu não conseguia falar. Tudo que eu sentia, ou pensava que sentia, tinha, simplesmente, desaparecido. Ótima hora para as palavras decidirem não ficarem juntas. Ótima hora! Você me olhava e parecia compreender o desespero que habitava em mim naquele momento. Eu lutei, tentei, gaguejei. Você me abraçou, minha lágrima escorreu e eu percebi. As palavras não se encaixavam, mas agora elas não precisavam mais.

3 comentários:

Pirulito que Bate-Bate disse...

O texto está lindo. Eu também já me senti assim, em um momento único que as palavras não saem da nossa boca e não sabemos o que dizer. Tudo pode significar, durante um abraço ou uma lágrima.

Thaty castan disse...

Oi lindona....
Adorei a visitinha.
Volte sempre tah????

Ja estou te seguindo no publicidade de Salto e agora aqui tb.

GRande beijo
Thaty
Pedaços do Cotidiano
www.thatycastan.blogspot.com

Nati disse...

adorei o texto! tô seguindo!